E tudo o que não disse e que não cabe aqui

“É a vida doida, a vida vidinha. Luto de um lado, celebração festiva do outro, dor, prazer, alegria, tristeza, desânimo, estresse e o pardalzinho ciscando em cima do muro e a relva orvalhada, o coração faminto pela beleza.
Não se acabam: o desejo de um rosto, uma voz, uma comida especial, o medo da morte, o pensamento de como deve ser a cara de Deus, culpa, desolação e consolação. Tudo simultâneo no planeta, mais a crença e a descrença de que quem nos criou nos ama e nos aguarda com a mesa posta. E tudo o que não disse e que não cabe aqui. O mistério.”

Adelia Prado

No final do século XIX, Warder Clyde Allee, zoologista americano, notou, dentro das relacoes ecologicas, um fenômeno onde existia um relacionamento positivo entre a aptidão individual e os números ou densidade dos indivíduos da mesma espécie.

Em outras palavras, à medida que o número de indivíduos de uma população aumentava, ou à medida que a densidade populacional aumentava, a sobrevivência e a produção também cresciam. Por exemplo,um pardal em um bando de quatro indivíduos que fosse atacado por um predador bem sucedido teria uma chance de 75% de sobrevivência, enquanto um pardal em um bando de 100 teria uma chance de 99%.

Nas expécies em extinção, Allee observou que havia uma reprodução ou sobrevivência reduzida em baixas densidades populacionais ou populações pequenas. Por exemplo, quando o tamanho da população de uma planta polinizada por insetos tornava-se baixo, menos sementes seriam produzidas por planta, porque os insetos polinizadores teriam mais dificuldade para encontrar as poucas flores existentes.

Recentemente percebeu-se que movimentos ambientalistas podem estar causando o que hoje os ecologistas chamam de “efeito Allee antropogênico”. Quando uma espécie passa a integrar uma lista de ameaçadas de extinção, eventualmente faz com que o homem provoque efetivamente a extinção.

Na década de 70 o Leucopsar rothschild ou “Mainá do Bali”, um pássaro de Bali, foi colocado na lista de espécies ameaçadas e seu preço disparou entre os colecionadores. Em 1979 foram encontrados 19 destes pássaros em um mercado em Cingapura; e em 1982 comercializados 16 Mainás em mercadis de Bali, época em que se estimava que existissem pouco mais de 150 deles na natureza. Hoje só existem seis.

Quando o homem dissemina aos quatro ventos que uma espécie está ameaçada, a procura pelos animais aumenta e causa o “efeito Allee antropogênico”.  Ou seja, divulgar uma “lista de espécies ameaçadas’” pode ser um tiro no pé.

Ja foi observado que a velocidade do acúmulo de pessoas no entorno de reservas e parques ambientais no mundo inteiro é proporcional ao total de investimentos internacionais que fluem para estas reservas.  Quanto mais dinheiro é investido na reserva, mais pessoas se mudam para um cinturão de 10 quilômetros, gerando micropolos de desenvolvimento e adensamento populacional ao redor.

O paradoxal é que a taxa de desflorestamento dentro das reservas começa a ser diretamente proporcional ao aumento de pessoas em volta das reservas, o que cria, ao longo do tempo, um cinturão de desflorestamento nesse entorno em um raio de 50 km.

Esses dois eventos sobre a vida do planeta fazem pensar em nossa própria vida pessoal. Queremos obter urgentemente certos efeitos e fatos, e involuntariamente geramos o oposto, revelando nossa enorme fragilidade e contradição. Queremos ser raros, famosos, chiques, especiais, únicos, superiores e bem-sucedidos – de preferência muito, mas muito mais bem-sucedidos que os outros! Queremos tudo isso e nos sobrevêm apenas desassossego e a extinção da simplicidade.

Acho que não importa tanto se nasci um Mainá ou pardal, se me tornei raro, excepcional, ordinário ou comum. No fim, o que vale é que tanto um quanto o outro tem asas, e é delas que se precisa para voar.  É de asas que a alma precisa para amar.  E – como só a Adelia saberia poetar – sao asas que minha alma precisa para dizer ‘tudo o que não disse e que não cabe aqui.’

 HBP, 15/06/2010

Explore posts in the same categories: Lendo

One Comment em “E tudo o que não disse e que não cabe aqui”

  1. mecenas Says:

    Minha querida amiga, dotora, filosofa, e sobretudo iluminada. Sempre com textos lindos e cheios de ternura.
    Muita paz para você.
    bjo


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: